picos de crescimento do bebe
Spread the love
Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

Alguns papais são abençoados com bebês bem obedientes, ou seja, que comem, dormem e dão muito pouco trabalho com crises de choro e inquietação. Essas verdadeiras exceções são, na maioria das vezes, batizadas de anjinhos pelos progenitores. 

Dito isso, todos os papais podem notar que em certos momentos da trajetória de crescimento do bebê, ele se torna muito mais inquieto e, até mesmo, chorão. Até os chamados anjos podem se comportar dessa maneira. Saiba que, apesar de tudo, isso é normal. 

Essas variações de comportamento costumam acontecer nos diversos picos de crescimento ao longo da infância.

Em resumo, os picos de crescimento, também chamados saltos de desenvolvimento, são um período em que o bebé cresce mais do que em outros momentos da sua vida. 

Os picos de crescimento podem ser caracterizados pelo aumento de peso, de comprimento e de perímetro cefálico. O ponto curioso sobre os saltos de crescimento é que isso não acontece gradativamente, e sim em um ritmo superior ao normal.

Durante esses momentos os papais de plantão poderão notar que o bebé pode ter atingido uma etapa do seu desenvolvimento ou, até mesmo, ter adquirido uma nova competência.

Outro ponto curioso é que esses picos de crescimento são muito mais frequentes durante o primeiro ano de vida do bebê. Ou seja, os picos de crescimento são especialmente frequentes neste período.

Além disso, algumas crianças apresentam os sinais com maior evidência , em contraste, outras quase que imperceptíveis aos olhos dos pais. Quando algo muda no comportamento do bebê e da criança, logo a lâmpada dos pais acende. Eles notam que algo está diferente. 

1 – Quando ocorrem os picos de crescimento 

Como já foi o dito, o crescimento dos bebês não acontece de forma contínua, ou seja, não é constante. No primeiro ano de vida, o crescimento ocorre em picos, que em geral, ocorrem entre dois e três dias. Mas não se engane, o pico pode durar, até mesmo, sete dias. 

Estes picos ocorrem em momentos bem específicos. Eles normalmente aparecem entre cerca de 7 a 10 dias, 2 a 3 semanas, 4 a 6 semanas, 3 meses, 4 meses, 6 meses e 9 meses. 

Após o primeiro ano de vida, mesmo que não seja com tanta frequência, a criança continuará tendo picos de crescimento por toda a infância e também na adolescência. Veja novamente os momentos do pico de uma forma mais simples de visualizar:

  • 7 – 10 dias;
  • 2 – 3 semanas;
  • 4 – 6 semanas;
  • 3 meses;
  • 4 meses;
  • 6 meses e;
  • em torno de 9 meses. 

Por fim, você não pode se esquecer que esses momentos variam de bebê para bebê. Cada vida é única, então não se preocupe se o seu bebê não tiver os seus picos de crescimento exatamente iguais aos descritos aqui. 

2 – Principais características dos picos de crescimento 

Ao mesmo tempo que o bebê pode passar pelos picos de crescimento sem apresentar muitas mudanças no comportamento durante esse período, ele também poderá apresentar certas alterações. As principais são: 

2.1 – Inquietação

A primeira diferença que o bebê pode apresentar é uma inquietação durante os dias que durar o pico de crescimento. 

Se o bebê costuma ser quietinho (o tal anjinho), normalmente essa inquietação vai ser facilmente percebida. 

Em contraste, se o bebê já for mais inquieto, talvez essa características passe batido pelos papais. 

2.2 – Sono

O sono e o crescimento estão intimamente relacionados. Pois é durante o sono profundo que é produzida a Hormona do Crescimento, essencial para o crescimento.

Alguns estudos mostram que os picos de crescimento seguem-se a alturas em que o bebé dorme mais e melhor durante a noite quer nas sestas. 

Mas alguns bebés, durante um pico de crescimento, podem dormir menos horas ou ter mais despertares noturnos.

2.3 – Alimentação

Por fim, nestes picos de crescimento pode ocorrer uma “crise” na amamentação. O bebé parece estar sempre com fome, chegando a parecer que o leite materno não é suficiente.

Em resumo, durante a duração do pico de crescimento poderá ter de amamentar o bebé com mais frequência, ou durante mais tempo que o habitual.

O leite materno, num pico de crescimento, consegue dar a nutrição necessária ao bebê e, em dois ou três dias, o corpo da mãe adapta-se às novas necessidades do bebé.

3 – Habilidades adquiridas em cada pico de crescimento 

Veja, a seguir, as habilidades mais comuns em casa fase de salto:

1 mês

Mudanças significativas na visão. Nesse período, os bebês começam a enxergar os pais e os objetos com mais nitidez e foco.

2 meses

O bebê começa a perceber que as suas mãos e os seus pés fazem parte do seu corpo e começam a tentar controlar estes membros, e desenvolvem movimentos finos.

3 meses

O bebê começa a enxergar distâncias mais longas.

4 meses

O bebê começa a fazer várias coisas ao mesmo tempo, como rolar, se virar de barriga para baixo, se arrastar, juntar suas mãos. O bebê descobre que pode gritar. Depois desse salto o bebê pode começar a firmar a cabeça sem ajuda dos pais.

6 meses

O bebê começa a sentar sem apoio. Também, começa a perceber que a mamãe não faz parte dele, que eles são dois seres individuais. Alguns bebês iniciam a ansiedade da separação nesse momento.

8 meses

O bebê começa a tentar engatinhar, a se movimentar mais. Começam a emitir diferentes sons e sílabas. Os bebês começam a imitar os movimentos dos pais, como gestos de não com a cabeça, bater palmas ou dar tchau e oi.

10 meses

O bebê começa a perceber que existe uma ordem para as coisas e atitudes. Normalmente, após esse salto, os bebês começam a apontar os objetos demonstrando as suas vontades.

Podem começar a querer fazer as mesmas coisas que os pais fazem e levanta-se por alguns segundos e movimenta-se mais. Alguns bebês já começam a caminhar.

About the Author:

Olá, sou Ana Clara, mãe de Enzo (8) e Micaela (12). Gosto de compartilhar alguns conhecimentos que tive ao longo da minha jornada como mãe. Espero que gostem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *